Poesias e textos

Menos cultura… Impossivel

Outro possível amor

Um mar azul e um céu de aguas transparentes

Que muitos tripulantes guardam na memoria

O calor dessas viagens não chega perto de sua historia

Pois esta reúne sensações mais marcantes

Este nobre sentimento me consome

Sempre que eu vejo seu sorriso

Em que neste leva uma enorme alegria

E nesta terra não há nada mais precioso

Vejo uma metáfora em seus olhos tão calmos

Dualidade entre força e tristeza

Minha esperança é que possa muda-los

E os transformar em olhos da realeza

O amor que sinto toda vez que a vejo

É engolido pela vergonha do meu ser

Mesmo sendo apenas um desejo

Não seria ruim com você poder viver

Não há nada como o passado

Ao tempo que se recusa a voltar

Digo na memoria tal fantástica sensação

Apenas um sorriso no rosto me faz lembrar

Que meu passado não foi mera ilusão

Pois ainda sinto todo esse prazer

Se o tempo fosse um longo caminho

Onde nesse pudesse trafegar

A felicidade lembraria com carinho

 E meus erros pudesse despistar

Para um novo futuro escrever

Tais palavras que nos perseguem

Durante todas as milhas que andei

Sem prestar nem uma homenagem

Esqueceram tudo que serei

Não querendo ter esta intenção

Já que todos os destinos são interligados

Seu passado alegrará o meu futuro

Sem saber que estão relacionados

Suas lembranças são meu tesouro

E me aquecem sem pedir permissão

Final de um eclipse

Já faz um tempo que não vejo a luz

Tal como calor, a real felicidade e alegria

Medos e receios que ate agora fugiria

Para um cenário mais claro me conduz

Desejo de acabar com este eclipse infinito

Que por tanto assombrou meu coração

Estive parado, impotente, sem nem uma reação

Sem imaginar um caminho tão estreito

E agora tal cruel escuridão se esconde

Dando espaço para um novo sol me aquecer

Impedindo as chances de me esquecer

Que meus sentimentos alguém corresponde

Finalmente um dia maravilhoso começa

Revelando o caminho que devo seguir

E ter a chance de ver você sorrir

Esta alegria seria minha promessa

Adeus Senhor.

Escrevo esta mensagem para relatar alguns descontentamentos e observações. Provavelmente no momento em que estiver lendo isso eu já estarei em direção ao meu próprio lar. Sei que isso terá repercussão no mundo que o Senhor criou, mas não me interessam as consequências.

Já venho trabalhando com o Senhor por alguns milênios, mas ainda assim não me sinto confortável com esta “rotina divina”. Esta infinita historia que conta apenas o meio e sem nem um ápice de emoção. Apenas controlar suas criações para que elas mesmas não caiam no grande caldeirão fervente do caos. E todos os deveres que o Senhor me incumbiu, nem mesmo um deu-me prazer.

Digo isso, pois estou desiludido com sua vontade. Não me comove mais os seus pensamentos, não sinto mais a mesma felicidade, ou já nem uma felicidade. Estou decidido a deixa-lo. Vou criar meu próprio lar e dele fazer o lar de suas criações que tiverem os mesmos sentimentos que eu tive. Pode-se dizer que serei seu oposto. O seu prazer é minha agonia, minha felicidade é seu desespero. Meu paraíso não terá nome, mas com certeza será chamado de varias maneiras pelos seus brinquedos.

Como pode ver sou poderoso o suficiente para isso, todo o poder que suas criações lhe concedem estarei para possui-las. Estou com tal poder que é comparável ao seu. Não dou a mínima importância para o que o Senhor pensa disso, pois minha decisão já foi tomada. Se quiser, tente me impedir. Mas o Senhor bem sabe que não é mais capaz disso

 

Adeus meu, ate agora, companheiro.

Não quero saber

Cara, como é difícil fazer poesia

Então não quero saber

Estou fazendo esta aqui

Sem rima nenhuma

Pensar em dezenas de frases

Para fazer um só verso

Então não quero saber

Escrevo o primeiro que penso

Escolher um tema difícil

E descreve-lo com palavras

Que ficam cada vez mais escassas

Já nem quero saber

Nem mesmo quero saber

Se o que escrevo aqui o agrada

Pois escrevo o que sinto

Não o que o satisfaz

Na quase morte

Estava levando meu cachorro para fazer uns exames de rotina no veterinário. O cão é um pastor alemão já adulto e um dos grandes. Como peguei ele ainda filhote, desenvolvi uma grande amizade com ele e claro estou sempre atento com sua saúde. Alimento-o bem e agora vou ver se esta tudo bem com ele mesmo.

É irônico como tudo isso acabou acontecendo. Estava dirigindo em direção ao veterinário com ele sentado no banco do meu lado. Era visível seu conhecimento de onde estávamos indo, como já havia levado ele lá algumas vezes, já sabia o caminho. Mesmo no desanimo latia para um ou outro cachorro que passava na rua. De repente ele olha para frente e late com mais força. Esse foi meu erro. Quando fui olhar instintivamente para saber o que era, ele me pula no colo e apoia seu pesado corpo sobre minha perna direita e faz o carro acelerar. Naquela posição não tinha força para tira-lo dali. Com uma mão não conseguia e se tirasse as duas o carro ficaria sem controle. Para piorar o corpo dele dificultava a visão do que vinha pela frente e ainda o rabo dele batia na minha cara com muita força, me fazendo piscar demais.

Sinto o carro bater em alguma coisa, pelo relance que vi no retrovisor parecia ser uma criança. Me arrependi de ter alimentado tanto o bendito cachorro, não conseguia mover minha perna e pisava com tudo no acelerador. Subitamente vejo algo vermelho na minha frente e logo fica tudo preto.

Já havia escutado coisas sobre experiencia de quase morte, mas era descrente quanto a isso. Até agora. É como falam, não se sente nada, não se ouve nada, mas pode-se ver as coisas perto do seu corpo, numa visão em terceira pessoa. Fui me afastando da cena do acidente, conforme ia indo as coisas envolta de mim ficavam mais brancas a ponto de uma hora eu estar em um espaço de puro branco, mas não machucava meus olhos.

Depois disso eu ouvi falar que a pessoa via-se entrando num portal que dava para um jardim com muitas cores. Não foi isso que eu vi. Sinceramente eu não “vi” nada, apenas senti. Eu pude sentir o universo, os planetas, as mentiras, a verdade, senti todas as pessoas de todos os tempos e a mim mesmo. Sabia a resposta para todas as perguntas, sabia o que aconteceu, o que acontece e o que vai acontecer. O mais incrível, eu sabia o porque de tudo isso, sabia o porque de tudo isso acontecer. O tempo não era mais dividido em três partes, era tudo uma coisa só. Foi a eternidade em apenas um segundo. Logo tudo ficou escuro, fui sentindo meu corpo de volta, agora sabia que tinha um corpo. Senti algo macio nas minhas costas e em minha nuca e o calor de um cobertor. Estava de volta à terra, num hospital depois de três semanas em coma.

Disseram-me que realmente havia acertado uma criança naquele dia e logo depois bati num caminhão de bombeiro, meu carro teve perda total. Falaram também que eu apenas consegui sobreviver por causa do meu cachorro, que me serviu como um Airbag. Por isso disse que foi meio irônico, pois o que provocou o acidente foi também o que me salvou dele.

Agora eu sei da resposta

Eu não seu se já alguma vez eu disse que gostava de alguém de maneira descente. Eu pensava que apenas por dizer isso você já se sentia bem. Como aquela vez que eu tinha levado você para o passeio no barco, e outra vez que subi a colina na noite para poder te encontrar, e aquela vez que eu sonhei que nós dois estávamos juntos comendo no restaurante, ou outra vez que eu vi você no teatro, ou aquela vez que vi você na praça. Varias vezes eu tento. Não estou mentindo. Sempre sonhei que daria certo alguma vez. Já que é tão maravilhoso sonhar com um futuro feliz, mas nunca se percebe a dificuldade de chegar lá.

Andava na rua sem destino, pensava e andava apenas. Queria chegar até você, mas não sabia como. Por que? Eu não sabia a resposta até ouvir de sua boca. As mais gratificantes palavras são aquelas ditas sendo empurradas pelo ar da confiança e carinho. Aquelas palavras que eu sempre sonhei em ouvir vindo de um coração apaixonado. Mas eu sei, não precisa me dizer, eu sei que para poder ouvi-las eu devo também senti-las. E veja, eu também gosto de você. De coração.

Inúteis foram as noites que passei acordado pensando no que dizer quando estivesse com você, mas na hora que eu tinha que dize-las, não tinha coragem. Porque? Eu não sabia o que você ia dizer de volta, tinha medo de ser o contrario do que eu disse. Mas agora eu sei. Sinto que o tempo prepara algo para nos.

Como você pode ver eu não falei nada de novo aqui, apenas repeti meu repertorio de frases. Mas agora eu sei que você vai ler. Vai ler e vai se identificar e essa é a primeira vez que isso acontece. Ah! como é bom saber a resposta, não preciso mais daquela insegurança, posso finalmente esconde-la da minha vida. E devo isso a você que me disse as melhores palavas que eu podia ouvir até agora. Vou ter coragem de poder dizer mais vezes e vou dizer tudo isso para você

Nada se compara

Vê em nosso céu um sol apaixonado

Raios adornados com lã de sonho

Alegria do céu que é despejado

E acaricia teu rosto risonho

Deixa o céu e veja o vasto campo

Envolta por vários tipos de flores

Na brisa o odor de capim-santo

Um jardim desenhado com muitas cores

Deixa o campo, pensa na coisa rara

Uma viagem ou num nobre sentimento

Pois essa alegria não se compara

Em estar contigo a todo momento

Esta poesia eu dedico para alguém muito especial. Não direi quem é meu alvo, mas tenho certeza que ela irá receber a mensagem.

Você e seu sorriso

Quem me dera que fosse a ultima, não a unica, mas a ultima. Pois vivendo no passado, sem alegria no presente, meu futuro será deficiente e sem nada há ser lembrado. Queria ser o único, não o ultimo, mas o único que já te amou. Já que se morrer em sua memoria é minha unica opção, toda aquela historia será apenas uma ilusão.

Não sei mais o que é sentimento, não sei se senti tudo. Nem mesmo sei se aguento, ser cortado por veludo. Não lembro bem o que é esperança, mas lembro de algo que preciso. Já nem vejo mais a diferença, entre esperança e seu sorriso.

Poeta lunático

O sol já batia o cartão para acabar seu expediente e entrega-lo para a lua que se levantava. Ela terminava de tomar seu banho enquanto eu estava sentado na cadeira ao lado da piscina. Estava a contemplar a paisagem, que ficava cada vez mais escura. Algumas nuvens tristes preparavam-se para chorar suas lamentações. Tudo era silencioso, podia-se ouvir apenas a ultima opera dos pássaros que iam dormir. A serenidade que sentia ali era algo que há muito não sentia, quase a ponto de ter sido esquecida.

Eu sou um poeta do pós-guerra. Ainda sento medo nas lembranças do passado. Quando era apenas eu, umas folhas de papel e uma caneta, trabalhando para sobreviver a loucura. Os que estavam comigo morreram e no final fiquei só, sem mais ninguém para quem escrever. Devaneios sobre o futuro começaram a não serem tão aterradores, até a morte começou a ser uma opção. Escutava todos os dias o toque dos tambores que coordenavam a cruel orquestra que acontecia a alguns metros sobre minha cabeça. Depois de alguns meses fui salvo, recebi até uma boa indenização, pelo qual o motivo já nem me recordo. Aqueles foram tempos caóticos.

Finalmente cá estou. É incrível como a vida muda em tão curtos momentos. Consegui alguns bens que agora me dão um certo conforto e fui agraciado com uma linda e carinhosa esposa que a cada palavra, me repõe a alegria que ficou em falta no passado. Porém não importa quantas coisas tenha agora. Vivo como uma pessoa normal e bem sucedida, mas no fundo da minha mente nunca deixarei de ser um eterno lunático desesperado.

Navegação de Posts

%d blogueiros gostam disto: